DIÁRIO DE BORDO

Atleta e gestora, Yane atenta para potencial educacional com a Caravana

Yane Marques mostra versatilidade na prática e se equilibra em uma das pranchas usadas para ensinar o skate.

Yane Marques mostra versatilidade na prática e se equilibra em uma das pranchas usadas para ensinar o skate.

O sotaque carregado não deixa dúvidas de que Yane Marques conhece bem o estado de Pernambuco. Nascida em Afogados de Ingazeira, cidadezinha do Vale do Pajeú, com menos de 40 mil habitantes, ela cresceu em Recife, onde chegou com 11 anos. O começo da vida nunca se desvencilhou do futuro como atleta olímpica, que ganhou a medalha de bronze em Londres-2012.

 

Com bagagem de quem treina cinco esportes diferentes, Yane Marques entrou na Arena Caravana e foi cercada pelo movimento de oito miniestações esportivas e atividades artísticas que dão vida ao ambiente da Caravana do Esporte e da Caravana das Artes. No Estádio do Carneirão, em Vitória de Santo Antão, na região metropolitana de Recife, em Pernambuco, Yane parecia surpresa com tantos esportes diferentes dividindo o gramado.

A pentatleta contou que também gostava muito do vôlei.

A pentatleta contou que também gostava muito do vôlei.

 

A pentatleta treina natação, hipismo, esgrima, tiro ao alvo e corrida. Ainda sim demonstrou curiosidade ao ver a Arena repleta de crianças praticando esportes. O motivo do espanto não era apenas as múltiplas modalidades, mas a metodologia em que se apoiam. Todas elas têm viés educacional.

 

“Trazer os esportes para cá eu acho que é um golaço, principalmente quando você faz esse elo com a educação, com a escola. Porque o esporte educa, a escola ensina, e juntos acho que é uma força muito maior para esse fim”, comentou a atleta.

 

Versátil como não poderia deixar de ser uma pentatleta, Yane encara também a função de gestora, como nome da Secretaria Municipal de Esportes do Recife. Sua visão vai além do âmbito esportivo, e a responsabilidade também. “Transformar vidas, pessoas em atletas, pessoas que tenham a oportunidade de viver isso, viver o esporte e aprender com o esporte. Que sejam campeões em quadra, em campo, ou não. O mais o importante: que sejam campeões na vida, cidadãos, com bom convívio, respeito, enfim, coisas que o esporte facilmente ensina”.

VEJA TAMBÉM: 

+ Da Mooca para Vitória de Santo Antão, Rony Gomes leva o skate
+ Em ritmo pernambucano, cantora Adriana B gira roda da educação

 

 

“Eu sou atleta há 20 anos, então essa parte técnica eu consigo trazer bem, no entanto ainda sou iniciante na gestão pública. Mas eu estou me capacitando, estou fazendo cursos, estou lendo bastante, estou estudando, buscando ajuda das pessoas as quais eu confio… e isso está sendo muito importante para essa minha projeção de Yane secretária”, afirma.

 

Yane experimentou os shapes da estação do skate, jogou vôlei com as crianças – ela contou que já se interessou muito pela modalidade – e tirou proveito de cada aprendizado proporcionado, tanto para a atleta, quanto para a gestora.

Comentários