DIÁRIO DE BORDO

Caravana cumpre ciclo educacional e movimento não para

Caravana é um ciclo! A educação continua seu movimento com esporte e artes. | Foto: Celia Santos / Instituto Mpumalanga

Caravana é um ciclo! A educação continua seu movimento com esporte e artes. | Foto: Celia Santos / Instituto Mpumalanga

O mar tinha ondas tranquilas que alcançavam os pés com uma dose de leveza e graça. O pôr do sol era de uma beleza plural. Não direi singular, pois ele não estava sozinho. Era mais encantador combinado com nuvens que pareciam terem sido cuidadosamente pintadas no céu. Esse quadro, que segue pintado na memória é o plano de fundo de mais uma Caravana do Esporte e Caravana das Artes. Pois fora inevitável não refletir sobre mais um ano de projeto em meio ao cenário natural após mais um dia de ação.

 

Em Boiçucanga, São Sebastião, compartilhamos a experiência do projeto com a Talita, atleta do vôlei de praia que acompanhou de longe a passagem da Caravana do Esporte por sua cidade, Aquidauana, no Mato Grosso do Sul em 2007, mas não deixou de conhecer a ação de que tanto ouviu falar dez anos depois. Encontro especial.

Talita Antunes compartilha o vôlei com crianças de Boiçucanga. | Foto: Celia Santos/ Instituto Mpumalanga

Talita Antunes compartilha o vôlei com crianças de Boiçucanga. | Foto: Celia Santos/ Instituto Mpumalanga

 

Estreante também, o cantor Eduardo Brechó dividiu sua música com as crianças e o palco com a amiga Luciana Oliveira. A professora e cantora Luciana é daquelas que vive a exaltar a Caravana das Artes e faz questão de planejar a própria agenda pensando no projeto. De tantos falar, despertou a mesma vontade para Eduardo viver uma Caravana. E viveu alegre demais!

Luciana Oliveira apresenta Caravana das Artes e metodologia educacional para cantor e amigo Eduardo Brechó. | Foto: Celia Santos/ Instituto Mpumalanga.

Luciana Oliveira apresenta Caravana das Artes e metodologia educacional para cantor e amigo Eduardo Brechó. | Foto: Celia Santos/ Instituto Mpumalanga.

 

Quando falamos em Caravana não nos referimos a três dias de ação que engloba atendimento a 3 000 crianças e centenas de professores da rede pública, falamos de legado. Uma ação com legado não só desperta o movimento, como o faz continuar. Ele continuará em São Sebastião através dos pequenos que aprenderam que esporte e artes são educação. E dos educadores que ganham norte com uma metodologia para valorizar esse movimento.

 

A Caravana cumpriu sua nona etapa de 2017. Foi o fim de mais um ciclo, mas nossos projetos são como o Sol, que se vai deixando lindas imagens e nasce ainda mais forte para o novo ciclo.

Nos ciclos, todo fim está ligado a um novo começo. | Foto: Celia Santos/ Instituto Mpumalanga.

Nos ciclos, todo fim está ligado a um novo começo. | Foto: Celia Santos/ Instituto Mpumalanga.

Comentários