DIÁRIO DE BORDO

Diário de Bordo: Voluntários integram Caravana em Serra

Supervisora da Otis Elevadores, Simone Noronha não se dirigiu à empresa na manhã desta terça-feira (8). O rumo ao amanhecer foi o Planalto Serrano, região periférica de Serra, no Espirito Santo. Lá, Simone encontrou as tendas coloridas da Caravana do Esporte e da Caravana das Artes. Precisaram poucos passos tímidos na arena até ser abordada por um dos integrantes dos projetos.

 

Em pouco tempo ela abandonou o terninho preto para vestir a camisa dos projetos e se juntar aos professores da Caravana das Artes. “Eu fiquei brincando na música, brincando de roda, com os instrumentos. Fui muito bem recepcionada e estou admirada com o projeto”, contou Simone.

 

A voluntária conheceu o destino dos materiais reaproveitados da Otis Elevadores, que viram instrumentos musicais usados nas atividades na arena, e se fascinou com a possibilidade de acesso a um cinema de qualidade em meio ao campinho de futebol. “No cinema as crianças não piscavam os olhos e quando veio o Mickey e o Pateta foi uma alegria! Fiquei encantada!”, afirmou cheia de animação.

Simone adora voluntariado e viu na Caravana mais uma oportunidade de exercer cidadania e ainda aprender novas metodologias educacionais. | Foto: Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga.

Simone adora voluntariado e viu na Caravana mais uma oportunidade de exercer cidadania e ainda aprender novas metodologias educacionais. | Foto: Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga.

 

A Caravana do Esporte e a Caravana das Artes proporcionam uma experimentação das metodologias educacionais em três dias de ação. As escolas da rede pública encaminham os alunos para essa vivência diferente e enriquecedora. “A criança precisa sair da rotina e a Caravana dá essa oportunidade de brincar e aprender

 

Eu vi as crianças tocando e interagindo e isso tudo é um estímulo para a vida”, observou fazendo planos para visitar novamente a Arena na tarde de quarta-feira. “A Otis está impulsionando esse trabalho de responsabilidade social e eu gosto de trabalhar com isso”, finalizou.

Voluntários da EDP também entraram para o time da Caravana do Esporte. Eles ajudaram os professores e também brincaram com as crianças. | Foto: Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga.

Voluntários da EDP também entraram para o time da Caravana do Esporte. Eles ajudaram os professores e também brincaram com as crianças. | Foto: Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga.

 

Outras empresas também ajudam os projetos a acontecerem. Voluntários da EDP estava espalhados por toda a arena, vivenciando as estações esportivas e conhecendo de perto as metodologias educacionais da Caravana do Esporte. Lucas Bitti tem apenas 23 anos e confessou que fazia bastante tempo que não tinha um convívio próximo com as crianças, mas aprovou a experiência no Planalto Serrano.

 

“Para mim o esporte melhora a qualidade de vida e a criança que cresce com isso cria uma base”, afirmou Lucas que se divide entre a prancha de surfe e a de skate.

Voluntários de diversos setores da EDP também tiveram um dia diferente com a Caravana do Esporte e a Caravana das Artes. | Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga

Voluntários de diversos setores da EDP também tiveram um dia diferente com a Caravana do Esporte e a Caravana das Artes. | Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga

Simone mudou a rotina e também a maneira de olhar para as artes e os esportes. Eles podem conter mais aprendizados do que se imagina. | Foto: Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga.

Simone mudou a rotina e também a maneira de olhar para as artes e os esportes. Eles podem conter mais aprendizados do que se imagina. | Foto: Fabio Ceratti/Instituto Mpumalanga.

Comentários