DIÁRIO DE BORDO

Esporte educacional nas ondas! Como surfe e educação ‘dropam’ no litoral

Na última Caravana do Esporte, em Boiçucanga, no Litoral Norte de São Paulo, um evento especial marcou o lançamento do livro Surfe para Todos. A publicação do Instituto Esporte Educação (IEE) é a primeira a tratar o esporte das ondas de forma inclusiva, levando em conta a larga bagagem da metodologia educacional aplicada no projeto e nos núcleos de educação.

 

Em Maresias, o IEE mantém um dos núcleos que aproveita a proximidade com o mar para promover o acesso ao surfe para diversas crianças moradoras da região. As aulas contam com a experiência do professor Rafael Dias, cuja formação em Educação Física sempre foi aliada à prática do surfe. O esporte é uma fonte de aprendizados indispensável para ele, pois vai além dos conceitos acadêmicos.

 

“O livro tem algumas coisas de que eu sentia necessidade quando era pequeno, coisas que talvez melhorariam meu desempenho como pessoa.  Eu tentei levar a experiência no mar, o respeito com a natureza, as boas atitudes dentro e fora do mar, as regras”, afirmou Rafael, um dos responsáveis a frente da publicação.

Alexandre Arena, no centro, aplaudiu iniciativa do Instituto Esporte Educação. | Foto:  Celia Santos/Instituto Mpumalanga.

Alexandre Arena, no centro, aplaudiu iniciativa do Instituto Esporte Educação. | Foto: Celia Santos/Instituto Mpumalanga.

 

O coordenador do IEE, Alexandre Arena, reforça o caráter educacional do livro. “Tem muito pouca publicação de surfe no Brasil e as publicações que têm falam de um surfe que não é para todos. Contam coisas de pessoas com mais talento. A gente vive um projeto que é para todas as pessoas”, começou. “Pedagogia do esporte é você olhar como qualquer esporte pode ser possível para qualquer pessoa e com o surfe foi um desafio”, completou o educador.

 

O livro foi construído em conjunto para trazer a vertente educacional do surfe e possibilitá-lo em outros locais. “Eu diria que o livro é resultado de um trabalho de parceria, quando a gente faz um trabalho que junta tantas forças é um trabalho verdadeiro que vai inspirar muitas pessoas a fazer surfe também”, analisou Alexandre Arena.

 

Rafael Dias desenvolve esse trabalho diariamente no núcleo de Maresias, além da promoção de outras modalidades educacionais com base na metodologia para Esporte para Todos. O professor acredita nas virtudes desse encontro entre mar e esporte.

Rafael Dias trouxe sua bagagem pessoal e experimentação para comporem metodologia. | Foto: Celia Santos/Instituto Mpumalanga.

Rafael Dias trouxe sua bagagem pessoal e experimentação para comporem metodologia. | Foto: Celia Santos/Instituto Mpumalanga.

 

“O surfe desafia o praticante, a criança ou o adulto. Ele sabe lidar melhor com situações adversas. A gente que surfa sempre persiste contra a correnteza, a chuva, com a onda mais forte e isso influencia nas atitudes”, reiterou Dias, lembrando que o surfe também é um grande aliado da natureza. “Ele ensina a ter mais amor pela natureza porque a gente depende dela”.

 

A Caravana do Esporte desenvolve a metodologia do IEE em seu projeto itinerante, espalhando a ideia de que todos podem praticar esporte e desfrutar dos aprendizados intrínsecos a ele. Até dentro d’água!

Comentários