DIÁRIO DE BORDO

Helen Luz passa o dia com a Caravana e quer replicar metodologia ‘em casa’

Helen assume a marcação junta com a atriz Isabela Souza na brincadeira com as crianças em Serra-ES |Foto: Fábio Cerati/Instituto Mpumalanga.

Helen assume a marcação junta com a atriz Isabela Souza na brincadeira com as crianças em Serra-ES |Foto: Fábio Cerati/Instituto Mpumalanga.

Que a energia contagiante da Caravana do Esporte constrói um legado não é grande novidade para os caravaneiros. Porém, essa força transformadora pode ser ainda maior quando em contato com agentes multiplicadores, ou seja, pessoas dispostas a acreditar e trabalhar pelo esporte educacional. Helen Luz, medalhista olímpica e campeã mundial de basquete, é uma dessas pessoas.

 

O dia ensolarado em Serra, no Espirito Santo, iluminou a Arena dos projetos – além da Caravana do Esporte, a Caravana das Artes acontece em paralelo – e realçou ainda mais o colorido de tendas e das estações do esporte. Depois de um breve passeio para conhecer cada núcleo da Caravana com olhos atentos com a novidade, a jogadora encontrou seu terreno familiar no basquete.

 

Claro, não era um basquete qualquer. “Já tirei até foto das cestas de basquete, o jeito que montou a tabela”, contou Helen se referindo as diversas cestas em uma única quadra com tamanhos diferentes que permite a todos o sucesso no esporte, até para os baixinhos. “São coisas simples, não se necessita de grandes materiais”, enfatizou.

A atleta se divertiu como criança na maré colorida do paraquedas. | Foto: Fábio Cerati

A atleta se divertiu como criança na maré colorida do paraquedas. | Foto: Fábio Cerati

 

Helen já faz planos para levar as ideias da Caravana para Louveira, no interior de São Paulo, onde mora com a família e desenvolve sua modalidade com jovens e crianças. E não é só o basquete que ela quer ver no interior paulista. “A brincadeira do paraquedas eu adorei, tem uma forma cooperativa e aqui você pode se relacionar sem haver distinção”, observou encantada.

 

O paraquedas utilizado na Caravana do Esporte engloba uma série de metodologias e valores. O pano colorido permite uma infinidade de jogos e brincadeiras, todos eles reforçando a importância do trabalho em equipe. “As crianças se divertem e é isso que eles têm que fazer nessa idade, curtir o esporte e não pensar no lado profissional”, finalizou a campeã.

 

Ana Moser levanta a bola do esporte educacional e destaca trabalho de sucesso em meio a periferia. | Foto: Fabio Cerati/Instituto Mpumalanga.

Ana Moser levanta a bola do esporte educacional e destaca trabalho de sucesso em meio a periferia. | Foto: Fabio Cerati/Instituto Mpumalanga.

A Caravana do Esporte está em ação no bairro Planalto Serrano, região periférica do município de Serra, inserida em um campo no meio da periferia não por acaso. “É uma cidade grande e tem suas periferias. E esse é um lugar muito bem escolhido porque causa um impacto visual e chama a atenção das pessoas para nossa estratégia dentro da educação, estamos bem no meio da comunidade”, reforçou Ana Moser, presidente do Instituto Esporte Educação, cujos professores desenvolvem a metodologia dos projetos.

 

O legado deixado no município porque quem assume o papel de agente transformador são os professores da rede pública. Enquanto as crianças se divertem na arena, os mestres estão em formação para replicarem a metodologia dentro das escolas. Não para por aí. O IEE volta a Serra no segundo semestre para desenvolver a formação continuada e fortalecer as transformações por meio do esporte.

Ideias que se espalham e legados da Caravana do Esporte, a ação em Serra segue contagiante! | Foto: Fábio Cerati/Instituto Mpumalanga.

Ideias que se espalham e legados da Caravana do Esporte, a ação em Serra segue contagiante! | Foto: Fábio Cerati/Instituto Mpumalanga.

 

 

Comentários