DIÁRIO DE BORDO

Mariene de Castro apoia Casa Brasileira: “Um ponto de iluminação”

Mariene de Castro faz participação na inauguração da Casa Brasileira, no domingo (17), às 20 horas.

Mariene de Castro faz participação na inauguração da Casa Brasileira, no domingo (17), às 20 horas. | Foto: Celia Santos/Instituto Mpumalanga

A Casa Brasileira, nova sede do Instituto Mpumalanga dedicada à arte e a cultura em São Sebastião, comemora esse novo passo no próximo domingo, dia 17 de outubro, com a participação especial da cantora Mariene de Castro, parceira da instituição, às 20 horas. O casarão em estilo colonial abrigara uma série de atrações culturais e está localizado em pleno centro histórico da cidade, na Rua da Praia. Próximo ao mar e às raízes do ser brasileiro.

 

A cantora Mariene de Castro, que acompanha as atividades do Instituto Mpumalanga e já viajou diversas vezes com o projeto Caravana das Artes exalta a nova sede. “Eu acho que ter um lugar de cultura em qualquer lugar é um ponto de luz. A gente trata a arte como uma iluminação para o corpo, para a mente, para o espírito e para o coração. Dar a oportunidade de acesso à cultura, isso é um avanço, uma sorte que favorece a cidade e a todos”, afirma.

 

Uma das propostas da Casa Brasileira é valorizar a identidade do brasileiro, abrindo espaço para a cultura indígena, africana, caiçara, nordestina, toda aquela que nos completa enquanto nação. O entendimento da história parte de um entendimento de nossas raízes.

 

“É de enorme importância trazer a história do povo e devolver para ele, mostrar nossa ancestralidade e devolver em forma de arte. Estamos falando de dar acesso ao povo de sua própria história, porque um povo sem história não tem identidade. E também levanta nossa autoestima, resgata muita coisa. As crianças nascem falando inglês, mas e nossa língua-mãe?”, comenta Mariene de Castro.

A cantora é parceira do Instituto Mpumalanga e comemora o novo espaço de cultura. | Foto: Celia Santos/Instituto Mpumalanga

A cantora é parceira do Instituto Mpumalanga e comemora o novo espaço de cultura. | Foto: Celia Santos/Instituto Mpumalanga

 

A cantora demonstra grande confiança no novo trabalho do Instituto Mpumalanga, pois carrega a experiência da Caravana das Artes como mostra de sucesso e comprometimento com às artes. “O Instituto Mpumalanga e a Caravana desenvolvem um trabalho belíssimo para o povo, pensando no desenvolvimento e na acessibilidade, em cuidar das comunidades indígenas e quilombolas, pensando profundamente em contribuir e deixar sementes, amor e comprometimento de corpo e alma. É um dos trabalhos mais bonitos que já vi”, elogia.

 

A Casa Brasileira passa a funcionar no dia seguinte a sua inauguração, das 10h às 21h, excepcionalmente em um segunda-feira (18). Nas demais semanas nossa programação cultural fica disponível para visitação de terça à domingo, nesse mesmo horário. No domingo de Natal (24) a Casa Brasileira não irá funcionar.

VEJA TAMBÉM mais do que estará na Casa Brasileira:

> Tecidos africanos 
> Pintiras de Élon Brasil.
> Bordados de Mãos de Ariadne

 25289622_708087309401955_8824745316400225403_n

 

Comentários