DIÁRIO DE BORDO

Medalhista olímpica, Érika Coimbra é a mais nova atleta voluntária da Caravana

A Caravana do Esporte acaba de confirmar mais uma participação especial para a próxima etapa, que vai acontecer no município de Lábrea, no Amazonas. A jogadora de vôlei Érika Coimbra será pela primeira vez uma das voluntárias do projeto e não esconde a animação com a estreia.

 

Érika Coimbra atuou por dez anos na seleção brasileira. Conquistou o ouro Pan Americano em 99, em Winnipeg e foi Bronze Olímpico em Sidney, no ano de 2000. Foto | Divulgação

Érika Coimbra atuou por dez anos na seleção brasileira. Conquistou o ouro Pan Americano em 99, em Winnipeg, no Canadá, e foi bronze olímpico em Sidney, na Austrália, no ano de 2000. Foto | Divulgação

“Eu estou querendo começar uma nova vida. Então, para mim, será um desafio e uma experiência nova, até por ainda estar em atividade no vôlei. Pretendo atuar ainda por uns dois ou três anos”, afirmou a ponteira, que segue em treinamento em Osasco, na Grande São Paulo.

 

A presença de Érika Coimbra em Lábrea marcará o encontro com Ana Moser, presidente do Instituto Esporte Educação. “Cresci vendo a Ana jogar. Eu disputei a Olimpíada de Sidney como titular na posição que era a dela. E a Ana é uma pessoa do bem, que está sempre correndo atrás das coisas do esporte e buscando dar oportunidades para as crianças”, contou medalhista olímpica.

 

Ana Moser, presidente do Instituto Esporte Educação, ressalta a satisfação em receber uma representante tão importante de seu esporte. “É sempre bom receber alguém do vôlei, ainda mais a Érika, com um currículo enorme de medalha olímpica, Grand Prix e ainda em por cima em atividade. É legal ter alguém na ativa, porque isso dá uma visão mais ampliada do esporte”, explicou.

 

A expectativa de contribuir com o desenvolvimento da educação por meio do esporte e

Ana Moser, presidente do Instituto Esporte Educação, durante a Caravana em Rio das Flôres - RJ.

Ana Moser, presidente do Instituto Esporte Educação, durante a Caravana em Rio das Flôres – RJ.

da arte mobiliza toda a equipe dos projetos. Lábrea, mais de três mil quilômetros de São Paulo, será o destino mais longe deste ano.   “É a maior experiência que a Caravana vai viver e uma relação muito legal com a raiz do nosso país, que é a população indígena e no coração da Amazônia, o tesouro natural do mundo. Realmente, uma experiência enorme para todos”, concluiu Ana Moser. Em 2015, o projeto já passou por Nazaré da Mata (PE), Porto da Folha (SE), União dos Palmares (AL), Rio das Flôres (RJ) e Pedra Azul (MG).

 

Veja também:

 

+ Mochila equipada, corpo disposto e alma aberta, a Caravana vai para o Amazonas

Comentários