DIÁRIO DE BORDO

Medalhista olímpica Helen Luz leva basquete educacional para Caravana em Serra

Helen Luz participa de sua primeira Caravana do Esporte. | Foto: Divulgação

Helen Luz participa de sua primeira Caravana do Esporte. | Foto: Divulgação

Falar de esporte com Helen Luz é falar da vida. São assuntos difíceis de desvincular, uma vez que toda a família tem envolvimento com o basquete. A modalidade fez de Helen medalhista olímpica, com o bronze conquistado em Sidney-2000, e campeão mundial em 1994. Até hoje ela se dedica à bola laranja, porém com viés mais próximo da educação. Convidada para a próxima etapa em Serra, no Espirito Santo, a atleta encontra a metodologia do projeto e fortalece o vínculo com o esporte na escola.

 

“Não consigo imaginar o esporte longe da educação”, afirmou Helen. Fora da ativa nas quadras desde 2011, a campeão continua a trabalhar com o basquete, agora no âmbito escolar, onde desenvolve a modalidade com jovens de Louveira, cidade do interior de São Paulo, onde reside com a família.

 

Em pleno contato com a nova geração, Helen Luz reconhece as diferenças da relação esporte-educação de hoje em comparação com sua infância. A novidade é tecnologia, que nem sempre joga no mesmo time das atividades físicas. “A gente vê que a tecnologia veio para competir com a parte esportiva. Eu vivia brincando na rua, pulando corda, pulando elástico com os amigos, hoje a gente tenta resgatar isso” contou.

 

Não se trata de abandonar o mundo virtual, cada vez mais integrado com a sociedade, mas de conciliar. “Acho que dá para conciliar com a educação, também não dá para ficar alienado, nós sabemos que a realidade hoje é essa. Acho que o principal é o apoio da família, não para ser professional, mas para incentivar na questão do esporte, que também envolve saúde – quantos casos de obesidade –  o esporte também ajuda no bem-estar”, ponderou.

 

Combinar tecnologia, educação e esporte parece o cenário ideal, apesar de distante da realidade brasileira. “Hoje tem tabela móvel, com cinco alturas. No meu tempo não tinha isso”, lembrou. “Nas escolas em que eu trabalho têm, mas nós sabemos que não é a realidade do país. Isso dá mais condição para o professor trabalhar e tudo fica fortalecido”, completou.

 

A Caravana do Esporte acredita na prática inclusiva das atividades físicas, por isso utiliza aros de vários tamanhos na estação do basquete. Todo o material é criado a partir de recicláveis, o que permite um maior acesso aos municípios de menos verba para investimento no esporte educacional. O sucesso na prática é tão importante quanto o incentivo da família para Helen Luz, por isso o basquete é uma diversão no projeto até para os baixinhos.

Helen Luz foi medalhista de bronze na Olimpíada de Atenas, em 2000, e campeã mundial com a Seleção  Brasileira em 94. | Foto: Divulgação

Helen Luz foi medalhista de bronze na Olimpíada de Atenas, em 2000, e campeã mundial com a Seleção Brasileira em 94. | Foto: Divulgação

 

Será a primeira participação de Helen na Caravana do Esporte, no entanto, a atleta tem ótimas referências do projeto, uma vez que sua irmã Cintia Luz, também jogadora de basquete, participou da etapa de Itabirito, em Minas Gerais, em 2012. “Faz uns anos. Ela ficou encantada, a gente que faz esporte, tem que aproveitar essa oportunidade de passar conhecimento”, comentou.

 

Apaixonada pelo basquete, Helen se sente realizada em trabalhar por sua modalidade, mas ela sabe que a escolha de uma modalidade tem que partir de cada um e para tanta é preciso oportunidade de conhecer quantos esportes forem possíveis. “Queira ou não, somos o país do futebol e parece que as crianças não têm oportunidade de conhecer outra coisa, e nós temos tanta coisa legal. Tem que sair um pouco da mesmice. Eu fico muito feliz de levar o basquete” reforçou. Em Serra, ela encontrará oito miniestações esportivas no espaço da Arena Caravana.

 

A própria Helen, tão reconhecida próxima ao garrafão (área da cesta no basquete), já experimentou de outras modalidades e as ressalta como igualmente importantes para o seu desenvolvimento. “Meu pai tinha uma regra, o primeiro esporte é sempre natação, que eu comecei com quarto anos, mas também passei por atletismo e ginástica artística”, revelou a atleta. Assim como Helen, todos os irmãos Luz se enveredaram para o basquete.

 

A família pode continuar a marcar o nome da modalidade, mas por enquanto Pedro é só risinhos carismáticos. Com 4 anos, o filho de Helen Luz pratica natação desde cedo. Sobre a nova geração do basquete na família, Helen tenta se conter. “Não vamos negar, é a desejo da família inteira, mas tem que ter interesse e respeitar a escolha dele”, disse, reafirmando que não faltará estimulo seja qual for o esporte de Pedro.

Comentários