DIÁRIO DE BORDO

O destino da Caravana é o Sudeste com a quinta etapa em Serra, no Espírito Santo

O município da Grande Vitória, no Espirito Santo, recebe a quinta etapa dos projetos Caravana do Esporte e Caravana das Artes em 2017

O município da Grande Vitória, no Espirito Santo, recebe a quinta etapa dos projetos Caravana do Esporte e Caravana das Artes em 2017

A bússola da Caravana do Esporte e da Caravana das Artes aponta um novo destino. Saímos do município de Laranjeiras, no Sergipe, em direção ao Sudeste do país, onde a cidade de Serra, no Espírito Santo, recebe a quinta etapa de 2017 e o compromisso educacional dos projetos. A ação está marcada para os dias 8, 9 e 10 de agosto.

 

Serra carrega esse nome em virtude do Monte Mestre Álvaro, um grande maciço que marca a geografia local, porém não deixa de ser conhecida pelo litoral. As praias reservam belezas naturais que atraem turistas e casas de veraneio de alguns moradores de Vitória, a capital do estado, apenas 25km de distância. A região de Manguinhos abriga algumas delas, além de uma associação de pescadores bastante tradicional.

 

Outra vila de pescadores que ganhou novos atrativos hoje em dia é a Praia do Jacaraípe, ponto conhecido de surfistas. Em ambas comunidades litorâneas a cultura do mar se mantém através dos pescadores, que além do culto a Iemanjá preservam a tradição capixaba do Congo.

 

De importância histórica, Serra abriga a Igreja dos Reis Magos, tombada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Além da construção de grande valor artístico, a edificação abriga uma obra dos Reis Magos, de frei Belchior Paulo, considerada uma das primeiras pinturas a óleo do Brasil.

Patrimônio histórico, a Igreja dos Reis Magos é identidade de Serra. | Foto: Divulgação.

Patrimônio histórico, a Igreja dos Reis Magos é identidade de Serra. | Foto: Divulgação.

 

Hoje com quase 500 mil habitantes, Serra já foi uma cidade pacata e de pouca importância econômica, sobretudo com o êxodo da população rural para Vitória. Mudanças profundas aconteceram desde a década de 50. As primeiras delas foram a construção da BR-101 e da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), porém a mais expressiva, sem dúvida, é a construção do Porto de Tubarão.

 

O empreendimento que no ano passado completou 50 anos teve um impacto relevante não somente na capital, como no entorno. A população de Serra que não passava dos 10 mil habitantes na década de 50 quase dobrou e nos anos seguintes. Quando a obra do porto e da Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST) foram concluídas, na década de 80, a população de Serra superava os 80 mil habitantes.

 

O progresso rápido e a integração com Vitória como região metropolitana trouxeram os problemas essencialmente urbanos. À medida que Serra se industrializava e experimentava o progresso, cresciam os índices de violência, em escala tão frenética quanto a densidade populacional.

Apresar do nome Serra, o município abriga um bonito litoral. |Foto: Divulgação.

Apesar do nome Serra, o município abriga um bonito litoral. |Foto: Divulgação.

 

Segundo último Mapa da Violência elaborado em 2014, Serra está na 28a posição no quesito Homicídios por Arma de Fogo, principal índice de medição de violência. É o município mais perigoso do Espirito Santo. Soma-se a esse contexto a onda de violência ocorrida no início desde ano, quando Policiais Militares, motivados pelos familiares cruzaram os braços por melhores condições salariais e de trabalho.

 

A crise de segurança pública iniciada em 4 de fevereiro teve consequências drásticas, com cenas que lembravam filmes de ficção – assassinatos, saques de lojas, rouba a bancos e insegurança generalizada. Em números, a onda de violência se torna ainda mais expressiva – 146 mortos, 170 veículos roubados, 300 milhões de prejuízo ao comércio. As pessoas se resignaram em suas casas e as aulas foram suspensas até que se chegasse a um acordo.

 

O fenômeno negativo ocorrido no início do ano não deve ajudar as próximas estatísticas sobre a violência no município. Mas a Caravana do Esporte e a Caravana das Artes podem sim promover um novo despertar a partir da educação.

 

As metodologias dos projetos propõem uma educação mais humana e inclusiva para o ensino público. Mais de 3000 crianças passam pela vivência educacional da Caravana, enquanto os professores da rede pública recebem formação para dar sequência ao legado da iniciativa.

 

Caravana do Esporte e Caravana das Artes

Abertura: Dia 7 de agosto.

Ação: Dias 8,9 e 10 de agosto.

Arena Caravana: Avenida Cachoeiro, s/n, bairro Planalto Serrano, Bloco A.

 

Confira nosso infográfico:

dados_serra

Comentários