DIÁRIO DE BORDO

Os jovens Warao e sua paixão pelo esporte

Por: Alexandre Arena

Estivemos diante de tantos desafios na luta pela sobrevivência, de famílias e famílias vivendo espremidas em um Abrigo. São tantas crianças, e jovens, tantas que não da para contar. Ávidas por viver, mais do que sobreviver, por brincar, por sorrir por ter um dia diferente na vida dura que os Warao, um povo indígena que vive na Venezuela e faz uma migração em massa para o Brasil fugindo da fome e da miséria, está tendo em um Abrigo organizado em Pacaraima, cidade pequena e com pouquíssima estrutura, localizada no estado de Roraima na divisa do Brasil com a Venezuela. São quase 600, vivendo ali.

Índios Waraos se divertindo no abrigo Janokoida em Pacaraíma  - Foto: Aguinaldo Melo

Índios Waraos se divertindo no abrigo Janokoida em Pacaraíma – Foto: Aguinaldo Melo

Índios Waraos se divertindo no abrigo Janokoida em Pacaraíma  - Foto: Aguinaldo Melo

Índios Waraos se divertindo no abrigo Janokoida em Pacaraíma – Foto: Aguinaldo Melo

Chegando no Abrigo logo vimos muitos jovens reunidos em uma quadrinha improvisada. Uma velha rede esticada por dois pontaletes e uma marcação imaginária e está lá, um espaço para brincar e se divertir e mais, para jogar vôlei.
Descobrimos que o vôlei é a paixão dos jovens Warao e jogam o dia todo. É um entra e sai sem parar de equipes. As vezes meninos e meninas, as vezes todos juntos. Tem regras bem definidas e uma cobrança dura para que sejam cumpridas. Uma bola bem gasta e velha é a única companheira do jogo e pouco importa se seus pedaços vão caindo à medida que o jogo avança. Um menino grita em Warao: Foi fora!!! Não há linhas, mas todos olham e dizem: Foi.

Nesses dias que passamos juntos, mais de 80 jovens Warao e professores do Abrigo participaram de um curso de capacitação com a equipe da Caravana sobre metodologia de esporte educacional, jogos e brincadeiras jogam os juntos muitos jogos, aprendemos uns, ensinamos outros e combinamos ações que os jovens e professores farão para as crianças com os materiais esportivos doados pelo Projeto.
A vida segue como um desafio diário de sobrevivência para este povo que vivia livre e agora se aperta num Abrigo e jogar continua sendo um tempo de estar, sem estar, de se divertir, de brincar e de fazer passar um tempo que por vezes parece ser muito maior do que o é.

Abrigo Janokoida em Pacaraíma  - Foto: Aguinaldo Melo

Abrigo Janokoida em Pacaraíma – Foto: Aguinaldo Melo

Comentários