DIÁRIO DE BORDO

Tássia Reis leva arte e identidade para São Sebastião

Tássia Reis: "Terá um cunho político mesmo que eu fale de borboletas, por tudo que eu carrego” (Foto: Divulgação)

Tássia Reis: “Terá um cunho político mesmo que eu fale de borboletas, por tudo que eu carrego” (Foto: Divulgação)

A cantora Tássia Reis, voz marcante do rap, vai descer a serra com a Caravana das Artes para São Sebastião munida de musicalidade, mas também de uma forte presença nas questões que se referem a identidade. Mulher e negra, ela acha difícil desvincular sua arte dos questionamentos sociais.

 

“No meu entendimento é importante discutir algumas coisas com o propósito de fazer alguma diferença. Como disse Nina Simone, ‘eu não acredito em arte que não questiona’. A gente vive toda essa questão política, toda essa discussão de gênero, questões raciais, enfim, acho que tudo tem a ver com o que eu faço, quem eu sou”, afirmou a artista.

 

Caravana São Sebastião
> Lumineiro também é artista convidado. 
> Diogo Silva acompanha Caravana ‘em casa’
> Tulio vê de perto mini ramp na Caravana

 

A Topolândia, bairro onde a Arena da Caravana será montada para a realização da terceira etapa de 2017, é marcada por uma forte miscigenação, presente na cultura caiçara. O hip hop, reconhecidamente uma arte surgida na periferia, endurece a voz para falar de problemas sociais que também se refletem no conglomerado de casas que compõe a região de atendimento da Caravana.

 

“Como eu venho de uma cultura do hip hop, que aqui no Brasil tem um cunho social muito forte, eu acabei por respirar dessa informação e me iniciando politicamente”, contou Tássia. “Vai se mesclando no que eu gosto de fazer na minha música, em função de ser uma mulher negra e tudo que ela carrega. Terá um cunho político mesmo que eu fale de borboletas, por tudo que eu carrego”, completou.

Tássia aposta na ousadia do visual e na arte de questionamento. (Foto: Larissa Isis/ Divulgação)

Tássia aposta na ousadia do visual e na arte de questionamento. (Foto: Larissa Isis/ Divulgação)

 

Tássia já participou de projetos sociais quando adolescente. As artes, de que ela tanto gostava, não faziam parte de sua grade curricular na escola. Foi em um projeto da prefeitura de Jacareí, interior de São Paulo, onde ela pode realizar a vontade de ter aulas de dança e começar uma trajetória de expressão artística. “Na escola não tem, é muito limitado, só tive mais contado na graduação, quando era estudante de moda”, explicou.

 

As artes traçaram os rumos da vida de Tássia Reis, tanto na maneira de pensar, como de se expressar. Ela acredita na função transformadora da música, da dança e da poesia. “Eu acredito que a criatividade é uma válvula de escape. A gente tira leite de pedra, entender o espaço e usufruir a melhor maneira possível dele”, comentou a cantora.

 

Na próxima semana, Tássia estará com a Caravana em São Sebastião. “Eu acho que a gente vai descobrir lá, entender o que a região tem de cultura, respeitar isso e dentro disso criar algo novo. Que seja uma vivência transformadora, um despertar, para nós e pela elas, as crianças que estarão lá”, concluiu cheia de expectativas.
Caravana das Artes
Dias 20, 21 e 22 de junho.
Bairro da Topolândia, São Sebastião
Clique para saber mais.

Comentários