DIÁRIO DE BORDO

Tereza Oliveira: palavras dançantes

Professora do Instituto Mpumalanga e integrante da equipe da Caravana das Artes, Tereza Oliveira vive a arte por completo. Isso significa que a arte não se resume a sua profissão, a qual se dedica desde a mocidade, porém também é parte de sua vida. Entregar-se por completo ao que ama explica tamanha energia ao falar de arte.

 

A metodologia Viva com Arte prima pelo movimento dentro do ensino artístico e a professora se identifica completamente com a proposta. A crença de que a expressão se dá pelo corpo inteiro, não somente pela voz, faz com que a fala da educadora também tenha movimento.  As palavras de Tereza só tem sentido assim: quando entram em dança. Fazer a palavra dançar é não deixar sua existência limitada à função gramatical. É colocá-la em movimento. Em suma, transformar a palavra em ação.

 

O movimento da arte deve ser contagiante. Por isso, Tereza se dedica a ampliar o acesso e garantir às metodologias educacionais. A professora prefere a ação ao discurso. Ela não espera que o discurso ganhe legendas, pois antes do fim das sentenças, a baiana já se levantou para a execução. As palavras já estão no compasso de 2017.

 

Comentários