DIÁRIO DE BORDO

Viagem no tempo: Lábrea e seus indicadores de décadas passadas

Para fazer uma viagem no tempo pelo Brasil não é preciso nenhum aparato tecnológico dos filmes de ficção cientifica. A viagem no espaço também permite uma imersão temporal quando o descolamento se dá de um grande centro urbano para uma região mais afastada, cujas condições de vida são semelhantes ao Brasil de décadas atrás.

 

Apesar dos avanços nos principais indicadores de qualidade de vida, que alteraram bastante o panorama nacional, persiste o problema da desigualdade social, responsável por tamanhas disparidades dentro do território brasileiro.

 

Mapa do município de Lábrea, ao sul do estado do Amazonas, no Norte do país. Região tem baixos índices sociais. (Imagem: Google)

Mapa do município de Lábrea, ao sul do estado do Amazonas, no Norte do país. Região tem baixos índices sociais. (Imagem: Google)

O Coeficiente Gini, criado para mensurar essa desigualdade e adotado mundialmente, reflete os despropósitos de nossa sociedade. O último censo de 2010 indicava o coeficiente de 0,60, em uma escala que considera zero como ideal e tem como limite 1.

 

A Caravana do Esporte e a Caravana das Artes estão prestes a encarar essa viagem. O destino é Lábrea, município do Amazonas que ocupa a posição 5.390 no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal. A lista completa conta com 5.565 distritos. A classificação é feita com base em estatísticas que levam em conta a longevidade, a educação e a renda.

 

Pirâmide Etária de Lábrea tem a base maior, o que indica superioridade da população jovem (Imagem: Pnud, Ipea, FJP)

Pirâmide Etária de Lábrea tem a base maior, o que indica superioridade da população jovem (Imagem: Pnud, Ipea, FJP)

Ao desembarcar em Lábrea, iremos de encontro a uma população jovem. Enquanto grande parte do país sofre um processo de amadurecimento populacional, o município amazonense é majoritariamente infantil. A faixa com maior número de representantes na pirâmide etária é a de 5 a 9 anos. Uma das explicações é a alta taxa de fecundidade, de quase quatro filhos por mulher (3,99), semelhante a países da África, como Sudão, Zimbábue e o Quênia. O maior acesso à informação e métodos anticoncepcionais fez a taxa de mais de sete filhos por mulher, em 1991, cair, embora permanece bastante alta. O Brasil apresentava 2,88 como média no censo dos anos 90 e hoje a taxa é de menos de dois filhos por mulher (1,89).

 

Indicador mais preocupante é o da esperança de vida ao nascer. O próximo destino da Caravana tem expectativa de 69,6 anos, de acordo com o último censo de 2010. O número é semelhante ao Brasil de 15 anos atrás, quando a média apontava para 68,6. Hoje, o país tem expectativa de 73,9 anos.

 

Dado mais alarmante é a taxa de analfabetismo, calculada com base nos cidadãos acima de 15 anos que não são habilitados na escrita e na leitura. Embora a queda seja representativa nos últimos 20 anos, a realidade ainda é preocupante. Lábrea tem um percentual de 28,5 nas condições acima, número superior ao Brasil de 1991, quando o analfabetismo atingia 20% da população brasileira.

 

Comparação de IDHM revela problemas de Lábrea (Fonte: Pnud, Ipea, FJP)

Comparação de IDHM revela problemas de Lábrea (Fonte: Pnud, Ipea, FJP)

As pessoas que atingiram a maioridade com o ensino fundamental completo são minoria. Apenas 27,4% da população superou o ensino básico antes dos 18 anos. É a metade da média brasileira (54.9%).

 

O município de Lábrea, com mais da metade da população considerada pobre, é o próximo desafio da Caravana, em sua sexta etapa neste ano. Será a oportunidade para conhecer uma nova cultura neste multifacetado território brasileiro e transmitir os conceitos do esporte e da arte com viés educacional.

 

(Fonte: Pnud, Ipea e FJP)

ESPN

Comentários